Ir para o conteúdo

Ana Prestes @DF

Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Notas internacionais (por Ana Prestes) 06/02/19

6 de Fevereiro de 2019, 12:59 , por Feed RSS do(a) Ana Prestes - | No one following this article yet.
Visualizado 12 vezes

– O chanceler Ernesto Araújo está hoje (6) em Washington, após passar pelo Canadá para uma reunião do Grupo de Lima. Objetivo da viagem é preparar uma visita do presidente Bolsonaro aos EUA. Ele já se encontrou ontem (5) com John Bolton e Mike Pompeo, além de ter agendas econômico-comerciais. Ingresso do Brasil na OCDE, lançamento de satélites pela Base de Alcântara e cotas/sobretaxas sobre o aço brasileiro estão na pauta da visita.

– Em Washington, Araújo deve se encontrar hoje (6) com seu homólogo turco, Mevlut Çavasoglu. Segundo a imprensa, o chanceler quer explicar a mudança do local da embaixada brasileira em Israel. Hoje o Brasil segue orientação da ONU de manter sua representação em Tel Aviv, enquanto o status de Jerusalém não está definido como a capital de dois Estados. Apenas EUA e Guatemala deslocaram suas embaixadas para Jerusalém.

– O Grupo de Lima voltou a se manifestar nesta segunda (4) reiterando seu reconhecimento ao autoproclamado presidente encarregado da Venezuela, Juan Guaidó. Na nota o Grupo ainda acolhe o pedido de Guaidó de incorporar a Venezuela ao Grupo, reconhe os representantes da “Venezuela de Guaidó” nos países membros do Grupo, insta a Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos (Michele Bachelet) a responder à situação dos direitos humanos no país, insta as FFAA da Venezuela a reconhecer Guaidó como Comandante em Chefe e que as FFAA não impeçam o “trânsito da ajuda humanitária aos venezuelanos”.

– O autoproclamado “presidente da Venezuela”, J. Guaidó, já designou representantes para EUA, Colômbia, Argentina, Guatemala, Paraguai e agora o Brasil. Trata-se da professora e advogada Maria Tersa Belandria. Chanceler Ernesto Araújo considerou “muito oportuna” a indicação.

– Ocorre amanhã (7), em Montevideo, o primeiro encontro de chanceleres do grupo de contato sobre a Venezuela. Oito países da União Europeia e cinco da América Latina estarão no encontro. Juan Guaidó e seus aliados internacionais rechaçam o encontro por alegar que permite ao governo Maduro um “ganho de tempo”.

– O conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, John Bolton, disse ontem (5) que as relações entre Brasil e EUA estão em seu melhor momento. Ele se encontrou com Ernesto Araújo em Washington. Eles discutiram a “logística” para “fazer chegar ajuda humanitária” à Venezuela.

– A União Europeia notificou a OMC de que passou a estabelecer cotas para importação do aço brasileiro e sobretaxação em 25% das importações que excederem as cotas. Ministérios das Relações Exteriores e da Economia do Brasil lançaram nota ontem (5) se manifestando contrariamente à decisão e dizendo que buscaram compensações junto à OMC.

– Trump falou ontem (5) por uma hora e meia em seu discurso do Estado da União. Segundo ele, “após 24 meses de rápido progresso, nossa economia é invejada pelo mundo, nossas FFAA são as mais poderaosas da Terra e a América está ganhando todos os dias”. Ele ainda mandou um recado para a China: “agora deixamos claro para a China, depois de anos assediando nossas indústrias e roubando nossa propriedade intelectual, que o roubo de empregos e riqueza nos EUA terminou”. Sobre o muro com o México, que motivou a paralisação do governo que durou mais de um mês, Trump falou diversas vezes no discurso. “Eu vou conseguir construir o muro” disse ele. Falou muito sobre Venezuela, também, por óbvio.

– O discurso do Estado da União do presidente americano sempre conta com um contra-discurso, realizado por representante da oposição. A escolhida pelos democratas foi Stacey Abrams, a primeira mulher negra a proferir o discurso. Parlamentar, ela foi líder da minoria na Câmara Baixa da Geórgia e candidata (não eleita) a governadora do mesmo estado (bastante conservador) ano passado. Abrams é também escritora, tendo escrito 8 romances de suspense sob o pseudônimo Selena Montgomery. Em seu discurso ela salientou a necessidade de diminuição dos custos do atendimento à saúde, democracia eleitoral e uma política migratória inclusiva. “Que fique claro: a supressão do direito ao voto é real”, disse ela. “Sabemos a que a relação entre nossos dois partidos poderiam construir um plano migratório com a cara do século 21, mas a atual administração prefere enjaular crianças e separar famílias”, foi outro trecho do discurso.

– Uma nova caravana migrante de centro-americanos chegou ontem (5) ao México. São 1700 pessoas. Maioria vem de Honduras. Trump já enviou mais tropas para a fronteira.

– Ao enviar quase 4 mil novos soldados para a fronteira com o México nesta terça (5), Trump disse: “construiremos um muro humano, se for necessário. Se tivéssemos um muro de verdade, isso não aconteceria!”.

– Chanceler russo Sergei Lavrov se pronunciou ontem (5) novamente sobre a Venezuela. Defendeu as conversações entre governo e oposição, caso contrário, segundo ele, “será simplesmente a mesma mudança de regime que o Ocidente fez muitas vezes”.

– Após a suspensão do INF, tratado de armas nucleares de alcance intermediário entre EUA e Rússia, Putin anunciou que o país vai desenvolver até 2021 uma versão terrestre dos misseis usados até agora pela Marinha. O tratado impedia o desenvolvimento de mísseis terrestres com alcance entre 500 e 5500 km. Corrida armamentista entre EUA, Rússia e China dá sinais de estar acelerada.

– O túmulo de Karl Marx, no cemitério de Highgate, em Londres, foi vandalizado durante o último final de semana. Com um martelo tentou-se apagar o nome de Marx na lápide.

– Conversações levadas a cabo no Sudão e patrocinadas pela União Africana e ONU parecem ter chegado a um termo de acordo entre o governo da República Centro-Africana e oposição, composta por 14 grupos armados. O país é rico em urânio, ouro e diamantes, mas é um dos mais pobres do mundo. Metade da população carece de ajuda humanitária.

– Ano novo chinês começou nesta terça (5). É o ano do porco. A celebração do ano novo lunar é uma das maiores festas populares asiáticas. Cada ano representa um bicho do horóscopo chinês.

– Adriana Salvatierra, de 29 anos, é a mais jovem mulher a chegar à presidência do Senado da Bolívia. Ela agora é a terceira na linha de sucessão na Bolívia, depois do presidente Evo Morales e do vice Álvaro Garcia Linera.

– Theresa May continua sua batalha pelo Brexit. Sua tentativa agora é contar com maior apoio da Irlanda do Norte. Em visita a Belfast ontem (5) ela propôs inclusive uma candidatura conjunta entre Reino Unido e Irlanda do Norte para organizar a Copa do Mundo de Futebol de 2030. Quanto ao Brexit, ela sugeriu que: não haverá fronteira física e comercial entre a Irlanda do Norte e o resto do Reino Unido, mecanismos de cooperação vão continuar, princípios do Acordo de Sexta-feira Santa serão mantidos.

– O Chile recordou ontem os 52 anos do suicídio de Violeta Parra. A cantora, poeta e artista plástica revolucionou a canção latino-americana.

O post Notas internacionais (por Ana Prestes) 06/02/19 apareceu primeiro em O Cafezinho.


Fonte: http://blogoosfero.cc/anaprestes/blog/notas-internacionais-por-ana-prestes-060219